DOCUMENTOS ANTIGOS DISTRITO DE RIBEIRÃO PEQUENO – Parte VII - Distrito de Ribeirão Pequeno

publicado em:2/03/18 12:22 AM por: Jurandir Figueiredo Documentos históricos

Quarta-Feira, 04 de Abril de 2007 | 2 comentários

Quando procurava a origem da minha família, numa busca que durou cerca de 8 anos, passou pelas minhas mãos muitos documentos. Coloquei-os numa ordem cronológica procurando identificar a origem. Depois abri um arquivo no meu micro e fui fazendo uma transcrição do conteúdo de cada documento para selecionar somente o que me interessava. Essa transcrição foi feita com alguma dificuldade porque o texto manuscrito é de difícil leitura, quer pelo estado em que se encontram, quer pela escrita da época, que usava muitas abreviaturas que desconheço. Portanto, não me prendi muito em fazer uma transcrição caprichada. Não que esses documentos não sejam importantes. Pode e deve interessar a muitas pessoas, pois esclarece a origem de algumas das primeiras famílias que estabeleceram no Ribeirão. Pequeno, quem veio, em qual navio, etc, e sobre um variado assunto que vai desde 07.03.1768 até 22.09.1900. Ou seja, um período que representa um buraco negro na história da região e do próprio Brasil. Possuo xerox de cada um desses documentos e poderei reproduzi-lo a quem interessar.

Geraldo Figueredo – Autor do Estudo da Árvore Genealógica da Família Figueiredo

 

DOCUMENTOS ANTIGOS DISTRITO DE RIBEIRÃO PEQUENO – Parte VII
03.04.1835 – Digo eu Antônio Pereira Milhomem e minha mulher Rita Leonarda de Santa Ana que entre os mais bens que possuímos livres e de embargados … um terreno com duas braças inicial de frente com os fundos até o limoeiro no caminho de Magalhães do caminho para cima, atravessando por um lado e outro do sul com o vendedor e pelo lado do norte com Apolinário Roiz de Jesus, cujos terrenos assim confrontados vendemos como com efeito vendido temos ao Sr. José Antônio Cardoso pelo preço e quantia entre nós ajustados de dois mil e quatrocentos R. que ao assinar esta recebemos em moeda corrente de cuja quantia lhe damos plena e geral quitação para nunca mais …podermos nem meus herdeiros outrossim como comprador obrigado a cizas foros, por tudo ser vendedor … do referido, pudemos e (roguemos?) as justiças de S. M. I. de todo vigor … cumprimento este pael de venda como como melhor … e declara assim mais para que usuafrua e goze como seus que são e ficam sendo de hoje em diante e para todo o sempre lhe trasferimos toda a posse (jus?) e domínio nos ditos terrenos que tínhamos e para maior clareza do referido mandemos lavrar a presente que vai tão somente por mim, digo, por nós assinados eu a meu rogo assinam José Marques Teixeira e minha mulher com a sua letra com as testemunhas presentes. Vila da Laguna 3 de ab5ril de l835. Ass.

14.06.1837 (Dico) – (Parte superior) Assim do Livro 1º de escrita desta Mesa fica corrigida a Siza de que passou conhecimento em mão. Laguna, 24 de junho de 1838. O Escrivão Souza. Dizemos nós abaixo assinados que entre os mais bens que possuímos bem assim somos senhores e possuidores de dezoito braças e meia de terras citas no lugar denominado Parobé que extremam pelo lado do N com terras de Manoel Teixeira Nunes e pelo lado do Sul com terras do comprador fazem frente ao mar com fundos até o Travessão de outras terras do mesmo vendedor. Cujas terras assim confrontadas vendemos o que com efeito vendidas temos ao Sr. Sipriano Cardoso pelo preço e quantia entre nós ajustados de dois mil e quatrocentos cada braça pagando o referido comprador a competente Siza e para o que lhe trespasso como todo … do domínio jus e senhorio que nas ditas terras tínhamos patra que as goze como suas que de hoje em diante ficam sendo e nos obrigamos a tirar a pás e salvamento toda e qualquer dúvida que havendo bem esta venda e se neste papel faltar alguma cláusula ou direito na presença e rogamos as justiças lhe dá inteiro vigor.
Tubarão, 14 de junho de 1837.Seguem-se assinaturas.

24.12.1840 (DICO) – Bento Joaquim de Souza Demarcador das terras de Sesmarias e das … desta Vila da Laguna e seu termo … da Comarca da mesma … e nela juramentada na forma da lei.
Certifico que em virtude de Mandado do Juiz de Paz desta Vila da Laguna … ao lugar denominado Passo do Parobé, Distrito da sobredita Vila onde vive e mora Manoel Roiz para o efeito de separar o terreno competente do dito Roiz constante a uma Certidão de partilha extraída do ventre do Inventário que se procedeu no juízo competente nos … de apresentação … e nela vem caber ao suplicante Manoel Roiz cinco e meia braças de terras de frente com os seus fundos competentes na forma dos títulos a que fez em (presença?) do Tutor Francisco … da Costa e dando princípio no lado de leste em um córrego que desagua no mar do … Passo e deste na direção de Leste-Oeste segue para oeste onde faz sua frente e fui devido os primeiros quinhões do sobrecitado … contra a vista de sua (folha de partilhas?) até chegar ao lugar onde confrontava o terreno do suplicante e aí divide somente pela frente onde lhe pus 2 marcos … ficamos … uma de cada lado para bem do suplicante poder fazer sua casa dentre de suas divisas visto que estava com os seus adjuntes separados e assim ficou somente o quinhão deste herdeiro dividido pela frente para o fi9mdito e esperançado para quando pudesse abrir suas extremas para fundos, o referido … e que para constar do feito me pediu o suplicante lhe passasse a presente a qual passa por minha letra … mim somente assinada. Passo do Parobé quatro de fevereiro de mil, oitocentos e quarenta anos. Ass. Bento Joaquim de Souza.

07.04.1841 (Dico) – Não convindo ao serviço público que Brígido Antônio da Silva, Oficial de Justiça do … nº 17 deste meu Distrito, continue no comercio de tal emprego, pela inação e falta de cumprimento dos seus deveres com que até agora tem servido, (segundo me tem informado o respectivo Inspetor) hei por bem suspendê-lo do referido exercício, como com efeito o hei que suspenso, e desonerado dele e em seu lugar nomeio a Bernardino de Senna, o qual depois de prestar o competente juramento poderá entrar no exercício do sobredito emprego de Oficial de Justiça do referido Quarteirão nº 17 do qual já o hei por empossado, e mando que para tal o reconheçam. Laguna, 7 de abril de l841. O Juiz de Paz … Rafael Mendes de Carvalho. Prestou Juramento perante mim. Ass.

12.07.1849 – Digo eu, Cuastódia Maria de Jesus, abaixo assinada que entre os mais bens que possuo, sou bem assim senhora e possuidora de dezenove metros e dois centímetros de terra de frente citas no lugar denominado Ribeirão Pequeno do Parobé Distrito da cidade de Laguna, fazem frente na estrada pública e fundos a uma cachoeira, conformando com terras de Bernardino de Senna Cardoso, pelo sul com outras de ANTÔNIO BORGES DE FIGUEREDO cujas terras aqui confrontadas e mencionadas vendi como vendidas ficam ao Sr. José Maria Pires, pelo preço e quantia entre nós ajustados de Cem mil reis que ao passar este recebi em moeda corrente deste Império ficando o comprador obrigado a pagar a competente ciza e …passando todo direito e domínio senhorio para o comprador gozar e desfrutar as mesmas terras como suas eu vendedora Ter … salvo qualquer dúvida que se suscitarem do presente e futuro fazer firme e valiosa a dita v3nda e para isso pede a justiça de sua Majestade Imperial que de com todo o vigor como este meu manual fosse uma escritura pública, com toda a firmeza digo, com toda a clareza havida por haver, em firmeza da referida por não saber ler nem escrever pede a Felix Antônio da Silva, que a meu rogo assinasse em presença das Testemunhas abaixo assinadas. Parobé do Ribeirão Pequeno, aos doze dias do mês de julho de l849. (seguem-se as assinaturas).

20.12.1862 (Dico) – Ana Joaquina dos Reis requer por Certidão osd bens que couberão em sua legítima, pelo falecimento de seu pai José de Espíndola Bittencourt e sua mulher (Maria Joaquina). Laguna, 20 de dezembro de 1862. … Deferimento. (abrev.) Antônio José da Silva, Escrivão de Orfãos nesta Cidade da Laguna e seu Termo, na forma da Lei, etc. Por Sua Majestade Imperial … Deus os Guarde etc. Certifico que revendo os Autops do Inventário e Partilha a que por este Juízo se procedeu nos bens que ficaram por falecimento de João d´Espíndola de Bittencourt, e Maria Joaquina, dos quais foi inventariante Joaquim José d´Espíndola, neles, às fls. 68 V se encontra o pagamento feito à legítima paterna e materna da herdeira Ana Joaquina dos Reis do teor e forma seguinte: Está legível.Constam como herdeiros ainda: Joaquim José d Espíndola (irmão) e Cândida Joaquina dos Reis. Assinam: Manoel Garcia da Conceição, Ajudante Juramentado: Antônio José da Silva, , Escrivão de Órfãos: Juiz de Órfãos, suplente: João Pacheco dos Reis.

16.08.1849 (Dico) – Il.mo. e Rev.mo. Sr. Arcipreste. Diz Ana Joaquina, filha legítima de João de Espíndola Bittencourt e de Maria Joaquina, natural e batizada na Freguesia de N. As. Do Rosário da Enseada de Brito, que ela precisa por Certidão o teor do Assento de seu batismo, que (abrev.). Para que constar. Desterro, 16 de agosto de 1849.; Para que seja servido mandá-la passar pelo R. (abrev.) Joaquim Caetano da Silva, Escrivão do Distrito Eclesiástico e … desta Cidade de N. Sra. Do Desterro da Província de Santa Catarina, por Sua Ex.cia Rev.ma, etc. Certifica que revendo o Livro Segundo dos Assentos de Batizados da Freguesia de N,. Sra. Do Rosário da Enseada de Brito, nele, às fls. 59V se acha o assento de Ana de que a petição retro faz menção, cujo teor é o seguinte: Aos vinte e quatro dias do mês de janeiro de mil setecentos e noventa e nove, nesta Freguesia da Enseada, batizei solenemente a Ana, nascida a seis do dito mês, filha legítima de João de Espíndola Bittencourt e de Maria Joaquina, naturais desta Freguesia; avós paternos: Manoel de Espíndola de Ataíde, natural da Ilha Graciosa, Freguesia de Guadalupe, e Maria do Rozário da mesma freguesia. Avós maternos: Antônio Teixeira de Souza, natural da Ilha de S. Jorge, Freguesia de Santa Barbosa, e de Maria do Rozário natural da Ilha do Pico, Freguesia de São Roque. Padrinhos: João Teixeira de Souza e Ana do Espírito Santo. Vigário: Domingos Francisco de Souza Coutinho. . Fiz passar a presente por despacho do Muito Reverendo Vigário Interino Antônio Joaquim Pereira . Desterro, 16.08.1849. Ass. Joaquim Caetano da Silva.

112.04.1854 (Dico) – Sr. Bernanrdino de Senna Cardoso: Laguna, 12 de abril de 1854. Hoje aqui vieram a Sra. Maria de Espíndola e o Sr. Gaspar filho da mesma senhora para passarem papel das terras, em razão de eu os Ter mandado chamar aqui!! … dia para não andar com 2 papéis, logo da mão deles para a sua a fim de não pagar 2 cizas no entanto …!! Não vês, ela aqui deixou pessoa para assinar a fogo dela e testemunhas, e o mesmo fiz com o filho Gaspar, aí o Sr. anda aviso dela e ele pode dizer-lhe, neste mesmo momento apareceu o Cel. Jerônimo pede que … venha amanhã sem falta e em último caso antes de Sábado. Tudo lhe sirva de governo. (abrev.) ass. Luciano José da Silva Endereçamento: Sr. Bernardino de Senna Cardoso. Ribeirão Pequeno.

13.02.1861 (Dico) – Em cunmprimento de ordlens superiores, ordena o Sr. Subdelegado que … imekdiatamente assim que esta receber lhe venha a falar para tratarem sobre negócios tendentes ao Sossego Público. Deus Guarde (abrev.) . Laguna, 15 de fevereiro de 1861. Sr. Inspetor de Parobé. O Escrivão Francisco … da Silva Mendes/Machado.

20.06.1851 – Digo eu José Marques Teixeira e minha mulher Maria Joaquina de Jesus, que somos senhores e possuidores de dez braças de terras de frente formando frente ao Mar Pequeno e com fundos até a cachoeira extremando pelo lado do sul com o mesmo comprador e pelo lado do norte com o mesmo vendedor, cujas terras assim confrontadas vendemos como de fato vendido temos ao Sr. Bernardino de Senna Cardoso, pelo preço e quantia entre nós ajustados de um mil reis que ao passear deste recebemos em moeda corrente, de que lhe damos plena e geral quitação para nunca mais em tempo algum por nós e nem por herdeiros lhe ser … e desde já lhe trespassamos todo o senhorio e domínio e posse que nelas … e posto que delas não tome posse por … de cláusulas e … que sem constrangimento de pessoa alguma antes pelo contrário a tenhamos vendido e para que nos obrigamos a fazer esta venda boa a todo tempo se alguma dúvida houver esperamos que este nosso papel tenha todo o valor como se fora Escritura na conformidade da Lei, e por Ter esta toda a referida verdade lhe passei o papel para sua clareza ficando ao comprador responsável a competente ciza. Parobé 20 de junho de l851. As. a rogo da vendedora Maria Joaquina de Jesus, ANTÔNIO BORGES DE FIGUEREDO.

22.08.1859 – Digo eu, José Antônio Cardoso e minha mulher Maria Lizandra de Jesus, que entre os mais que possuímos há bem assim 4 braças de terras de frente com quarenta de fundos até a cachoeira e cujas terras fazem frente ao mar confrontando pelo lado do sul com a Joaquina Rosa de Jesus e pelo Norte com Rita Maria de Jesus, cujas terras assim confrontadas vendemos como com efeito vendidas temos ao Sr. Bernardino de Senna pelo preço entre nós ajustado de vinte e cinco mil e seiscentos, ficando o comprador obrigado a me dar uma braça de frente com quatro de fundos para um rancho de canos e saída até a estrada cuja quantia recebemos ao fazer este, em moeda corrente ficando o comprador obrigado a pagar a competente ciza, cujas terras vendemos sem constrangimento de pessoa alguma e de muita boa vontade lhe vendemos para que as goze como suas que desde hoje ficam sendo e lhe as trespassamos todos os poderes e senhorio que nelas temos e para clareza do referido lhe mandamos passar o referido papel e por não sabermos ler pedimos ao Sr. José Marques Teixeira que este por mim firmasse e a rogo de minha mulher se assinasse. Parobé 22 de agosto de 1859. Ass. Como Test. ANTÔNIO BORGES DE FIGUEREDO.

26.12.1863 (Dico) – (Resumo) Dizemos nós, marido e mulher que entre os mais bens que possuímos, somos senhores e possuidores de um terreno que nos tocou pelo falecimento de nosso pai, etc .. extremando pela parte de cima com Luiz Espíndola e pela parte de baixo com herdeiros de Maria Joaquina e pela frente com terras de Ana dos Reis e pelos fundos com terras do finado Gaspar, cujas terras vendemos ao Sr. Bernardino de Senna Cardoso, etc. Assina à rogo de Caetana Maria de Jesus e José Alves Fº: Francisco José Ricardo da Silva.Como Testemunha: Bernardo Francisco da Silva.

Enviado por: Arquivo de Geraldo Figueredo

 

Comentários

Permalink #1 #1 – Rosa Maria Costa 10/02/2008
Pôxa Geraldo super legal esses seus documentos tenho tanta vontade de pesquisar sobre o major barbosa da enseada do brito. beijos

Permalink #2 #2 – Maria Helena 27/02/2008
Adorei ler sua página, Quem guarda o que pesquisa certamente terá sempre a mão o que necessita. Estou pesquisando os descendentes de Antônio de Espíndola e Maria do Rosário. Ambos da Freguesia de São Mateus , Ilha Graciosa, Bispado de Angra. Será que eles são parentes dos Espíndola que você encontrou em Laguna? Poderia me esclarecer. Aguardo seu email. Um grande abraço.



A última modificação foi feita em:março 12th, 2019 as 12:47 AM


Post Tags


Comentários



Adicionar Comentário